Pesquisa

16/12/19 Gestão Escolar

Novo Ensino Médio: confira 5 mudanças!

Confira um resumo das mudanças, que devem ocorrer até 2022

Transformações intensas, novas profissões, novos comportamentos. O jovem nativo da era digital espera que a escola ensine mais do que conteúdo. Autoconhecimento, criatividade e resolução de problemas são habilidades essenciais, cujo ensino se torna papel da escola. E o Novo Ensino Médio vem ao encontro desse novo cenário.

A implementação deve ocorrer até 2022 em todas as escolas. Enquanto isso, gestores devem se dedicar a entender o funcionamento, se aprofundar na lei e começar a preparar professores, pais e alunos para o que está por vir. A clareza sobre as mudanças e os objetivos do Novo Ensino Médio é o que vai tornar o processo mais fluido e reduzir o ruído na comunicação.

Neste texto, resumimos as principais mudanças, mas você pode acompanhar a série de posts aqui no blog e também nosso e-book sobre o Novo Ensino Médio.

 

  1. Mudança de currículo

Ele será composto pela Formação Geral Básica, que são competências e habilidades obrigatórias da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e Itinerários Formativos, conteúdo para que o aluno possa se aprofundar ou adquirir novos conhecimentos. Isso é complementado pelo Projeto de Vida, momento de incentivo ao autoconhecimento e estabelecimento de metas pessoais e profissionais do aluno.

 

  1. Aluno pode escolher

Os Itinerários Formativos são a parte flexível do novo currículo. São caminhos que o aluno escolhe de acordo com seu próprio interesse do aluno e a disponibilidade da escola. As aulas devem ser organizadas pela instituição de ensino a partir de eixos estruturantes: Investigação Científica, Processos Criativos, Mediação e Intervenção Sociocultural e Empreendedorismo. Eles podem ser por área do conhecimento, integrados (com duas ou mais áreas) ou com foco na formação técnica e profissional (profissionalizante).

 

  1. Ampliação da carga horária

Até 2022, a carga horária mínima de todas as escolas será ampliada para 1.000 horas por ano. Isso significa 3.000 horas ao longo do Ensino Médio. A Formação Geral Básica deve corresponder no máximo a 1.800 horas (60% do currículo), e os Itinerários Formativos no mínimo a 1.200 horas (40% do currículo). A nossa sugestão é que a implementação comece em 2021, com 1000 horas, sendo distribuídas em 30 aulas semanais de 50 minutos.

  1. Áreas do conhecimento

Os 13 componentes curriculares pela BNCC, que fazem parte do modelo anterior ao Novo Ensino Médio, estão presentes em quatro áreas de conhecimento propostas pelo Novo Ensino Médio: Linguagem e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Sociais e Aplicadas. Língua Portuguesa e Matemática são obrigatórios durante os três anos do Ensino Médio.

 

  1. Nova dinâmica escolar

A transição exigirá mudança de padrões e abertura para o novo. Na sala de aula, a expectativa é de um professor com perfil colaborativo e engajador, que pense fora da caixa, inove, seja interdisciplinar e torne o estudo atrativo. Os alunos também esperam ser ouvidos na implementação e execução do ensino médio: é preciso que o gestor e o professor entendam seus interesses, expectativas e frustrações para que transformem a escola em um ambiente interessante e inspirador.

 

E aí, já está entendendo bastante sobre o assunto? Teste seus conhecimentos no nosso quiz do Novo Ensino Médio.

 

15/04/19

9 dicas para atrair mais alunos para a sua escola

Você investe para que a sua escola tenha sucesso? Veja como você pode fortalecer a marca da instituição, além de reter e conquistar alunos.

13/03/20

Como se preparar agora para o novo Ensino Médio?

Confira o que é importante saber sobre a reforma para começar a implementação