Pesquisa

07/05/20 Gestão Escolar

Práticas escolares que estão funcionando durante a pandemia

Observamos como algumas escolas conveniadas ao Sistema Positivo de Ensino reagiram à paralisação das aulas e mostramos o que deu certo até aqui.

Na maioria das cidades brasileiras, faz mais de 40 dias que as aulas das escolas foram interrompidas por conta do coronavírus. De lá para cá, os impactos desta crise na vida escolar levantou debates sobre boas práticas de se adotar, como lidar com os desafios financeiros, as obrigações leigais, entre outras. E já é possível observar as medidas tomadas que estão dando certo. 

Neste pouco mais de um mês, observamos como algumas das escolas conveniadas ao Sistema Positivo de Ensino reagiram diante do cenário de distanciamento físico. Notamos que algumas ações deram respostas rápidas a basicamente três dificuldades bastante comuns:

  • Domínio técnico e conceitual dos professores para o ensino a distância;
  • Validade pedagógica e jurídica das atividades remotas;
  • Engajamento de toda a comunidade escolar (dos professores e funcionários aos pais e alunos).

Vamos abordar algumas destas ações neste texto. Mas antes é importante lembrar que todas as suas decisões devem ter como premissa o cenário local. Vivemos em um país que já vem mostrando como a pandemia afeta estados e municípios de formas diferentes. Mesmo diante das medidas adotadas pelo governo federal.

Confira as medidas adotadas por escolas, que podem servir de exemplo para a sua instituição.

Defina uma linha para seguir

É de suma importância, antes de tudo, dar alguns passos para trás e definir uma única linha para seguir. Assim, você evita a instabilidade constante, garantindo que a escola não fique mudando de rumo a cada nova notícia.

E para ter a confiança de que está se posicionando da forma correta, faça um levantamento de todos os recursos e possibilidades que tem ao seu dispor.

Sua escola vai adotar atividades remotas? Faça uma pesquisa entre os professores para saber qual é o domínio deles sobre as tecnologias. Descubra se eles têm os equipamentos adequados, se sabem como operá-los e até mesmo se entendem o que é e como fazer uma aula por vídeo.

O Instituto Educacional Crescer, conveniado de Campinas (SP), é um bom exemplo de como preparar-se, torna mais fácil escolher uma estratégia. Depois de uma pesquisa pelo Google Forms, com o corpo docente da escola, a gestão construiu dois estúdios para videoaulas. Atualmente, estudam a criação de um terceiro.

Aproveite, também, esta mesma pesquisa para definir projetos de curto e longo prazo. E não se esqueça dos planos “B”, “C”, “D”, “E” […]. Pense em soluções para cada tipo de situação que pode prever. 

Por fim, determine o planejamento e o controle da nova rotina. Crie também uma agenda para os estudantes de acordo com cada fase do ensino. E determine como as turmas serão atendidas e como as atividades serão desenvolvidas. Na escola Educação Criativa, conveniada de Ipatinga (MG), o cronograma dos alunos do Ensino Fundamental – Anos Finais e Ensino Médio foi adaptado ao cronograma do SPE com Você, a nossa plataforma de videoaulas e lives.

Ofereça treinamento e apoio técnico

Como pudemos notar no exemplo do Instituto Crescer, é importante garantir que os professores tenham os equipamentos adequados para ministrar as atividades remotas. Mas de nada adianta isso se eles não tiverem o treinamento e o apoio necessário.

No caso das videoaulas, faça tutoriais apresentando noções básicas de como posicionar a câmera, iniciar uma gravação, iluminar o cenário, entre outras. Saiba se eles já assistiram a uma videoaula e mostre bons exemplos de como fazer uma, principalmente aqueles vindos dos colegas de trabalho. É importante que tenham ao menos uma referência de como funciona o recurso, pois só assim saberão como prosseguir.

Padronize também e mostre como operar as ferramentas digitais que usarão durante o processo. Crie documentos com o passo a passo dos procedimentos, reforçando o uso delas e evitando que cada professor trabalhe de um jeito. 

O Colégio Espaço Aberto, nosso conveniado de Fortaleza (CE), é outro bom exemplo nesse sentido. Há alguns anos eles vêm implementando o uso do G Suite for Education, incentivando os professores a usarem a plataforma no seu trabalho. Então, chegou a paralisação das aulas e este processo se intensificou. Isso facilitou o fluxo das atividades, pois todas são compartilhadas pela nuvem. Além disso, as reuniões e treinamentos hoje são feitos pelo Google Meet.

Valorize o trabalho dos professores

Mas lembre-se: tão relevante quanto preparar os educadores é valorizar os avanços feitos eles. Passe feedback rápidos e construtivos. Não os deixe muito tempo sem resposta e evite apontar erros ou simplesmente descartar um trabalho. Mostre onde acertaram e estimule os pontos de melhora. E monitore a evolução deles com pesquisas periódicas para medir o grau de confiança que sentem em relação ao próprio desempenho. Assim, você poderá definir planos de ação em grupo, para lidar com as dificuldades em comum, e individuais nos casos mais específicos.

Por fim, assuma a liderança da situação, mas não seja centralizador. Delegue as atividades e confie na sua equipe, bem como nos seus posicionamentos. Só assim será possível tirar projetos do papel, em um espaço tão curto de tempo, sem se atrapalhar ou demandar os professores além do necessário. 

Seja claro com seus funcionários e registre tudo

Já falamos bastante sobre a importância de ser transparente nesse período. Estabeleça um fluxo de informações com os professores e demais funcionários. Crie mecanismos para mantê-los informados de cada decisão que afetará as suas vidas.

Não adote as medidas oferecidas pelo governo federal sem analisar caso a caso. Só reduza a jornada ou dê férias, para aqueles que realmente tiveram suas funções afetadas.

Assegure os professores sobre a validade pedagógica e jurídica das atividades remotas. Segundo o nosso consultor jurídico, Luis Esmanhotto, é aconselhável que todas elas sejam registradas por e-mails, avaliações, trabalhos, entre outros. Por conta da Medida Provisória n° 934, de 2020, que estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo, eventualmente esses exercícios podem ser equiparados às aulas presenciais.

E não deixe de proteger a escola com termos de autorização de uso de imagem dos professores. Ao não fazer este documento, a instituição está sujeita à acusação de vazamento ou uso indevido de dados. Outro protocolo importante é o registro das ocorrências em que os educadores se propuseram a criar o conteúdo das suas aulas com equipamentos próprios e dispensaram o apoio técnico e/ou financeiro da escola.

Mantenha a sua identidade nas atividades

É essencial aliar suas atividades remotas a todos os recursos que tem disponível, seja pelo Positivo On, seja pelo SPE com Você. Afinal, qualquer auxílio é válido neste momento. Mas dar a sua cara a todo este processo é valoroso para manter e fortalecer a parceria com os pais e alunos, que querem sentir a escola mais próxima neste momento. Por isso, é importante criar as videoaulas, e propor atividades próprias. 

Aproveite as ferramentas digitais disponíveis no mercado para criar esta proximidade. Na escola Educação Criativa, que já mencionamos anteriormente, uma das soluções encontradas foi a elaboração de um calendário de aulas ao vivo, pelo Zoom

Mas também é possível se manter por perto beneficiando-se das condições oferecidas pela escola e professores. Oferece transporte próprio? Que tal adaptar este serviço para a entrega de atividades extras? Não conta com este serviço? Outra possibilidade é propor uma parceria aos profissionais que prestam este tipo de serviço na sua região.

A lousa também pode ser um outro exemplo neste sentido. Precisa de uma mesa-lousa nas gravações de videoaulas? Descubra se alguma mesa da escola pode ser adaptada para esta função. O professor está gravando de casa? Mostre para ele que portas e janelas de vidro também podem ser usadas para esta finalidade.

No final das contas, isso só vai enriquecer todo o trabalho feito com o material que disponibilizamos. Ao mesmo tempo mostrará também a importância do papel da escola na vida das famílias.

É preciso a família ao seu lado

Sabemos que o momento desperta muitas preocupações financeiras. E, por mais que a recomendação do Ministério da Justiça seja de manutenção das cobranças, o bom senso deve falar mais alto. A diminuição da atividade financeira atinge a todos e, consequentemente, os pais podem ter problemas no pagamento das mensalidades.

O momento é de repactuar. Afinal, esses são mesmos pais precisarão da escola funcionando plenamente, quando tudo isso passar. Tenha o cuidado de lembrá-los que a instituição segue funcionando na pandemia. Além disso, ela precisa desta parceria para continuar existindo depois.

Renegocie e ofereça descontos a partir de atividades complementares ou serviços que não estão acontecendo, como o contraturno, aulas de esportes ou refeições, por exemplo.

Reforce também que eventualmente as aulas podem ser repostas, o que acarretará no cumprimento da carga horária já prevista ou até superior à que está registrada no contrato inicial.

23/10/20

Como montar os Itinerários Formativos da sua escola?

Entenda como a identidade da sua escola pode ajudar você nessa missão

17/04/19

Como aplicar matriz SWOT em sua escola?

A matriz SWOT auxilia a definir forças, fraquezas, oportunidades e ameaças – com base nisso, gestores podem pensar o planejamento estratégico como parte do todo